O que é a moeda na economia?

A moeda surgiu como uma alternativa para contornar as limitações do escambo, sistema pelo qual antigos mercadores efetuavam as suas trocas oferecendo o próprio produto, dado que não havia outro meio para se concretizar as negociações.

Sendo uma ferramenta para organizar as atividades econômicas, ela possui 3 finalidades:

  1. Meio de troca: pelo qual se paga por bens e serviços;
  2. Unidade de conta: forma de se expressar, numericamente, uma transação;
  3. Reserva de valor: instrumento de acúmulo de riqueza.

Dessa forma, ela tem as seguintes denominações:

Descomplicando a Bolsa de Valores

Qual a diferença entre moeda e moeda virtual?

Ao contrário das moedas virtuais, a moeda é controlada e emitida soberanamente; ou seja, apenas pelo próprio país. Isso faz com que ela tenha os chamados curso legal e poder liberatório. Dito de outro modo, ela deve ser aceita por todos como forma de pagamento.

Essa característica remonta ao mercantilismo, época em que as nações mais prósperas estocavam metais preciosos, dando origem à cunhagem de moedas durante a Idade Média:

Como qualidades em comum, todas eram valiosas, homogêneas, duráveis e fracionáveis (podiam ser divididas em unidades menores).

O que é a oferta de moeda (M1)?

Na economia, a moeda é representada pelos chamados agregados monetários. Elencados pela ordem de liquidez (facilidade em que se transformam em dinheiro), temos a seguinte classificação dada pelo Banco Central (BC):

Tendo como meta a estabilidade de preços, o M1 é controlado pela autoridade monetária de 2 formas:

Por que o dólar norte-americano é a principal moeda do mundo?

A hegemonia do dólar surgiu a partir do final da Segunda Guerra Mundial.

Com a Europa precisando de recursos para se reerguer, um novo sistema financeiro, elaborado a partir das preferências dos norte-americanos, foi criado. Assim, as taxas de câmbio de todas as moedas foram fixadas em relação ao dólar, fazendo dele a principal moeda de reserva mundial.

Apesar de funcionar até hoje, esse sistema não é perfeito. A principal crítica é o fato dele se sujeitar à política monetária dos EUA, cuja economia nem sempre está em sincronia com as demais economias que captam recursos em dólar para financiar as suas atividades. Essa discrepância resulta em crises econômicas e fuga de capitais.

Por que a Europa adotou uma moeda única?

Normalmente, a adoção de uma moeda única é a última etapa da formalização de uma união monetária, dadas a disciplina fiscal requerida (controle de gastos pelos governos) e a coordenação macroeconômica necessária.

Isso implica na unificação de uma série de medidas prévias tais como:

Ao se substituir as moedas dos vários países participantes, facilita-se a mobilidade de recursos entre o continente ao mesmo tempo em que se reduz os custos de transação, não apenas entre os agentes em si, mas também para o aparato do Estado, a exemplo da coleta de impostos.

O resultado esperado é um enorme ganho de produtividade, visto que não existem tarifas, restrições ao movimento de trabalhadores ou regulamentações que protejam determinados grupos econômicos

Tornando o continente mais rico, ele ganha projeção internacional.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Backtest

O que é Backtest? Também chamado de backtesting, o backtest é um tipo de teste que se faz usando dados históricos relevantes, a fim de prever…