Última modificação em 9 de janeiro de 2020

O que é o mercado branco?

Mercado branco é o nome dado ao conjunto de transações comerciais realizadas de acordo com a regulamentação do governo. Em outras palavras, são os produtos e serviços comprados e vendidos de forma legal e que são amparados pela Justiça.

A bolsa que você comprou outro dia no shopping. A sessão na psicoterapeuta. O cacho do bananas no supermercado. O batom naquela loja de maquiagens. A consulta no dentista.

Provavelmente todos eram componentes do mercado branco, de modo que ele faz parte do nosso dia a dia. Assim, identificar o mercado branco se torna fácil: basta que os bens comercializados e o meio de distribuição façam parte dos itens liberados pelo governo.

Contudo, como veremos adiante, o mercado branco está longe de ser o único tipo de meio de comercialização existente. Bem longe mesmo.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Qual é a diferença entre os vários tipos de mercado?

De modo geral, pode-se dizer que existem cinco tipos de mercado atualmente: o mercado branco (tema do nosso artigo!), o mercado negro, o mercado cinza, o mercado vermelho e o mercado rosa.

Mercado negro

É onde quaisquer produtos banidos pelo governo são comprados e vendidos. Aqui, estão incluídos os produtos falsificados, as drogas ilícitas e as armas proibidas. Atualmente, é o mercado marginal mais conhecido, sendo inclusive por vezes confundido com o mercado vermelho.

Mercado cinza

É onde os produtos legais são comprados e vendidos em meios não-autorizados. Graças a isso é que a loteria é autorizada, mas o jogo do bicho, não. Aqui, inclui-se também os bens contrabandeados.

Mercado vermelho

É onde os produtos oriundos da violência são comprados e vendidos. Aqui, inclui-se o tráfico de pessoas, o tráfico de órgãos, os assassinos de aluguel e afins.

Mercado rosa

É onde os produtos e serviços de coerção são difundidos pelo próprio governo. Aqui, inclui-se o alistamento militar, os impostos e afins.

Por que o mercado branco é considerado o melhor tipo de mercado?

Considerado tanto para os comerciantes, quanto para os consumidores.

Não precisamos nem justificar o porquê do mercado cinza ser um mercado ilegal e recriminável, concorda?

Contudo, para quem já comprou um filme pirata no camelô ou mesmo se envolveu com o jogo do bicho, por exemplo, pode ser difícil imaginar como uma atividade tão inofensiva (aos seus olhos, pelo menos) prejudica as relações comerciais legalizadas e os próprios clientes.

À grosso modo, o mercado branco é visto como o melhor e mais seguro dos mercados por conta da regulamentação. Em teoria, quando você vai ao hortifruti e compra uma bandeja de morangos, você confia que o produtor realizou todos os testes e procedimentos de segurança alimentar antes de disponibilizá-lo nas prateleiras.

Se há alguma reação anormal por conta daqueles morangos, como uma intoxicação, é possível procurar a Justiça e ser reparado.

No caso do mercado negro, por exemplo, isso não é possível. Afinal de contas, a atividade é desde o início ilegal - os seus danos físicos e materiais são apenas um para a conta.

Para os comerciantes, o mercado branco representa o estabelecimento de regras minimamente justas. Pense bem: imagine quanto dinheiro empresas como Nike, Adidas, Apple e Samsung investiram a fim de fortalecer as suas marcas diante do público? A logo de cada uma acaba por se tornar um item desejado, que confere status.

Quando uma camiseta ou um celular é falsificado, o que se faz é roubar essa construção de anos em volta da marca. O falsificador não tem esse trabalho, nem necessidade de investimento, mas lucra com o trabalho e investimento do fabricante original.

No mercado branco, devido às legislações de propriedade imaterial, isso não é possível.

Termo do dia

Ágio

O que é o ágio? Ágio é um termo utilizado no mercado financeiro para designar a diferença entre o valor de mercado de um produto e…

Veja outros termos