Última modificação em 30 de setembro de 2020

O que é Market Fit?

De um modo bem simples e objetivo, podemos dizer que o market fit representa o perfeito encaixe entre produto e demanda de mercado.

O market fit é um conceito muito utilizado por startups. Aliás, você sabe o que são elas?

Startups são empresas que estão começando a ganhar espaço e se consolidarem no mercado, por – obrigatoriamente – apresentarem um produto ou modelo de negócio inovador.

Podem, ainda, contar com o auxílio de companhias terceiras, como incubadoras ou aceleradoras, que prestam suporte financeiro em troca de bons resultados.

(Temos artigos específicos sobre o assunto, vale a pena dar uma olhada!)

Ou seja, o market fit é justamente aquilo que as startups precisam encontrar para conseguirem crescer: um produto ou serviço inovador, que se adeque às necessidades da população em geral ou de determinado público específico.

Entretanto, esse conceito não fica restrito apenas às empresas que estão começando agora. Grandes companhias também podem – e devem – oferecer algo que realmente seja útil ao seu público!


Como o Market Fit funciona?

Um ponto importante a se ressaltar é a dificuldade que muitas empresas têm em separar o market fit do love branding. Não é assim que as coisas devem funcionar!

Se os clientes compram o produto pela relação positiva que estabeleceram com a marca, não significa que aquela empresa está de fato produzindo ou oferecendo algo dentro do market fit, entende?

O produto ou serviço comercializado precisa ser útil a qualquer um dentro do público-alvo, independente da audiência que a companhia tenha a seu favor.

Ah! Tem mais uma coisa: só é considerado market fit aquilo que estiver em circulação e, consequentemente, gerando receita. Teorias, projetos, experimentos e coisas do tipo não considerados como tal, pois ainda não caracterizam a mercadoria final.

Como identificar o Market Fit da empresa?

Falando especificamente de startups, esse é o primeiro passo para definir se o negócio será escalável ou não.

Imagine que todo o processo de desenvolvimento acontece em forma de pirâmide. Na base está a criação do produto, no meio está o período de transição e por fim, no topo, está o tão desejado crescimento e consolidação.

Pois bem, perceba que a base dessa pirâmide é o que sustenta todo o resto. Não há transição muito menos crescimento se o produto não for muito bem definido e se encaixar com as demandas sociais!

A melhor maneira de identificar essa situação é observando o feedback do cliente: Se ele compra, recompra e não cancela o produto ou serviço, a empresa pode se sentir realizada pois certamente está no caminho certo!

Imaginemos, por exemplo, uma startup que esteja com um novo modelo de negócio no ramo de clubes por assinatura.

O primeiro passo é observar o nível de aderência do serviço, ou seja, quanto que o marketing fit da companhia está se encaixando à demanda do público. Mas só isso não basta, porque as pessoas precisam se manter interessadas.

Portanto, além do nível de aderência, é preciso observar o tempo de permanência com o plano de assinatura, quantidade de cancelamentos, se mesmo com outras opções no mercado os clientes se mantêm fiéis ao serviço, e assim por diante.

Qual é a relação do Market Fit com a economia nacional?

Digamos que vender bem é uma vantagem para todo mundo.

A partir do momento que um produto ou serviço realmente se encaixa nas demandas sociais, nós, enquanto consumidores, gastamos nosso dinheiro de maneira muito mais assertiva e consciente.

Além disso, através do market fit é possível estimular a competitividade comercial entre empresas, fazendo com que os produtos e serviços sejam ofertados cada vez com maior qualidade.

E claro, maior qualidade significa maiores investimentos, o que é excelente para o giro de capital econômico nacional.

Termo do dia

Portabilidade Bancária

Confira como funciona a portabilidade bancária para o recebimento de salário e transferência de empréstimo ou financiamento.

Veja outros termos