O que é histerese?

A histerese é a propriedade que um objeto, sistema ou material possui de manter suas características mesmo que não receba mais qualquer ação que foi necessária para a sua formação.

Ou seja, trata-se de algo que foi formado por meio de algum estímulo forçado e sem o qual não aconteceria. No entanto, esse estímulo não precisa se manter ou se repetir para que a formação mantenha sua conservação ou seu resultado final.

De um modo geral, esse é um fenômeno visto com frequência no estudo de campos magnéticos. O termo histerese tem origem grega e, na sua versão original, tem o significado de retardo.


Histerese na economia

 

Apesar de ser um fenômeno físico, a definição de histerese foi importada para outros campos de estudo. É o caso da economia, especialmente com relação aos momentos de crise pelos quais um país pode atravessar.

Quando uma nação entra em recessão, é natural que ele sofra consequências relacionadas a esse processo. Em teoria, no entanto, momentos difíceis vem e vão com frequência. É algo inerente à economia. Sendo assim, em tese, após a melhora desta crise, tudo tende a voltar ao normal.

Na prática, contudo, não é o que acontece. Em períodos negativos pessoas perdem empregos, acumulam dívidas. E, ainda que economicamente as coisas melhorem após a passagem desse momento mais nebuloso, os efeitos do estímulo inicial seguem presentes. A esse processo nomeia-se também de histerese econômica, pois os efeitos podem seguir valendo mesmo após a recuperação formal da recessão.

E isso vale para países também. Por vezes, mesmo após o final de uma crise, o PIB não se recupera da mesma forma, mantendo os efeitos e as consequências de atravessar uma crise econômica.

Histerese no mercado de trabalho

No período recente, o Brasil vem sofrendo com uma forte crise cuja recuperação tem sido bastante lenta. E os empregos também sofrem com algo que se assemelha à histerese.

Nesse caso, os efeitos são vistos por tempo indeterminado na taxa de desemprego, ainda que, do ponto de vista geral, o pior da crise tenha passado. Como vimos, esses efeitos perduram mesmo que não exista mais o estímulo que os causou. É exatamente o que acontece no desemprego.

Em momentos difíceis, pessoas perdem seus empregos, mas as contas continuam a chegar. Além do endividamento, que citamos no tópico anterior, outra dificuldade que pode surgir é a dificuldade na recolocação profissional ou, em outras palavras, a busca por uma nova ocupação.

Ademais, é preciso mencionar ainda que em período de crise, desempregados podem aceitar condições atípicas como um rebaixamento de função, atividade ou salário. E, na maior parte das vezes, isso não é recuperado com a melhora da economia, causando danos permanentes (por isso menção à histerese).

Vale lembrar que, do ponto de vista governamental, isso também é ruim. Essas pessoas com dificuldades na recolocação perdem produtividade, conhecimento e ainda o poder aquisitivo, convertendo-se em passivas no consumo interno.

Em casos mais extremos, há quem opte por mudar de país em busca de condições melhores de vida. E, claro, esse é um impacto forte na vida do cidadão, podendo durar muito mais do que a crise em si.

Histerese política

Em um processo de recessão, políticos precisam agir. E suas decisões, claro, podem provocar danos permanentes para sua população. Desta forma, o campo político também apresenta relações próximas com o processo de histerese.

As decisões econômicas têm impacto especialmente importante. É preciso agir, mas com consciência das consequências que possam aparecer a cada passo em falso.

Determinações políticas são, muitas vezes, de longo prazo. E, ainda que não seja mais o governante no futuro, um político pode causar um estímulo duradouro em função da histerese.

 

Descomplicando a Bolsa de Valores

Termo do dia

Custo de captação

O que é Custo de Captação Custo de Captação é o custo que uma empresa, uma instituição financeira ou até mesmo uma pessoa tem para captar recursos que…