O que é uma expansão econômica? 

Expansão econômica é o nome dado a um período específico do chamado ciclo econômico, que se caracteriza por englobar o ápice do crescimento de uma determinada economia nacional ou global dentro desse ciclo completo. É durante o ápice que há a maior geração de riqueza, volume de consumo e taxas de emprego e investimentos, entre outros elementos.

Lá no nosso artigo completo sobre os ciclos econômicos (disponível aqui), já indicamos que a expansão se assemelha muito com o verão. Isso mesmo, você não leu errado: estamos falando da estação do ano! 

Ainda não entendeu a relação entre esses dois itens? Não se preocupe: nós explicamos.

Pense bem nas características do verão. Ainda que em algumas regiões do Brasil as estações não sejam tão delineadas, existem algumas propriedades comuns a essa estação específica. Para começar, podemos citar o sol "de rachar". Vestimos roupas mais fresquinhas, compramos sorvetes e fugimos à praia sempre que podemos para nos refrescar diante das temperaturas mais altas do ano. As flores estão por todo lado, assim como as frutas suculentas. 

Trazendo para o contexto dos ciclos econômicos, a expansão funciona de formas semelhantes.

Aqui, não são as temperaturas que chegam aos níveis mais elevados, mas o crescimento da economia mesmo. O PIB, indicador mais comumente usado para medir a criação de riqueza, tem aumentos significativos. 

Não "fugimos" do "calor", mas o aproveitamos: para comprar, para vender, para investir. Com mais dinheiro em circulação e uma maior oferta de crédito, as relações de consumo ficam aquecidas.

Já quando falamos de "flores" e "frutas" estamos tratando na verdade das empresas. Como o faturamento cresce, é nos períodos de expansão que as organizações ampliam as atividades - elas "florescem". Como fica mais fácil conseguir empréstimos nos bancos, lançar novos projetos é um movimento mais natural.

Como bem sabemos, todos prefeririam continuam no período de expansão econômica para sempre, não é? Mas como se trata de um ciclo, logo o crescimento vai perdendo força e entramos no período de desaceleração, até chegar enfim em uma nova crise econômica.


Quais são os demais períodos do ciclo econômico?

Como você já sabe, a expansão é apenas um dos quatro períodos que compõem o ciclo econômico. Os outros três são: a recuperação, a desaceleração e a crise (essas duas últimas já vimos no tópico anterior, inclusive). 

Recuperação

Se a expansão representa o verão, certamente a recuperação pode representar a primavera.

É o período pós-crise em que, embora ainda não se tenha atingido um nível de produção de riqueza suficiente para se identificar uma nova expansão, a economia volta a acelerar. Isso significa que o número de empregos cresce, assim como os volumes de produção e investimentos. 

Ainda não se chegou ao ápice (período de expansão), mas os dados indicam que se caminha para isso.

Daí, quando a expansão chegar, o ciclo se reinicia e passamos por todos os períodos novamente. Para que isso aconteça, no entanto, não há um tempo determinado. 

Desaceleração

A desaceleração é o verdadeiro outono econômico, que traz ventos mais gelados e dias mais curtos.

Na prática, isso quer dizer que o grau de consumo cai, o desemprego começa a subir e as empresas apresentam dificuldades para crescer. Algumas estagnam, já outras entram "em crise" antecipadamente.

Crise econômica

O exato oposto da expansão, a crise é o tal "inverno" econômico.

Enquanto na expansão se atinge o pico de crescimento, na crise temos o exato oposto: economias enfrentando quedas acentuadas, que se refletem no aumento do desemprego e do número de empresas falidas, enquanto o volume de investimentos se retrai.

O assunto é tão denso que já temos, inclusive, um artigo completo aqui no Mais Retorno para tratar apenas das crises econômicas. Para conferir, clique aqui.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Backtest

O que é Backtest? Também chamado de backtesting, o backtest é um tipo de teste que se faz usando dados históricos relevantes, a fim de prever…