O que é ERP?

A sigla ERP é uma abreviação do termo Enterprise Resource Planning, que traduzido de forma literal para o Português significa Planejamento Integrado de Recursos.

O ERP se trata de um software reconhecidamente capaz de reunir e centralizar diversas informações pertinentes a gestão de uma empresa.

Uma grande companhia normalmente precisa administrar uma série de aspectos essenciais, como contas a pagar  ou a receber, vendas e pedidos, folha de pagamento, controle de estoque, emissão de notas fiscais, entre outros.

Imagine realizar cada procedimento a partir de uma plataforma diferente: quão trabalhoso e até arriscado poderia ser? Com o sistema ERP, o gerenciamento de todas essas informações acontece num mesmo lugar.

A ideia principal do ERP é automatizar toda a administração empresarial, a fim de otimizar o tempo dos colaboradores e reduzir possíveis falhas decorrentes da falta de controle sobre tais aspectos essenciais.

Todas as operações elementares da companhia, até o nível mais estratégico de gestão, podem – e devem – ser inclusas nesse modelo de software. Inclusive, o mesmo também é de grande valia no que diz respeitos as questões fiscais exigidas por lei.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Como o ERP funciona?

De maneira geral, os softwares de ERP são todos modularizados, ou seja, são divididos dentre todos os segmentos operacionais: comercial, administrativo, financeiro, jurídico, contábil, humano e qualquer outro.

Embora sejam divididos, os módulos se integram entre si e todas as informações são compartilhadas em tempo real, a fim de que qualquer um tenha acesso e consuma o conteúdo que precisar.

Para que você possa entender melhor, vamos ilustrar um exemplo prático de como o ERP funciona.

Pense numa empresa de segmento varejista. Pode ser um supermercado, pet shop, loja de roupas ou bijuterias, distribuidora de material de construção...

Como Investir nos Melhores Fundos

Normalmente, empresas como essas possuem uma série de filiais espalhadas pelo país, certo? Desde as fábricas até os pontos comerciais. Logo, não é nada incomum que companhias varejistas possuam mais de 20 mil itens em estoque, por exemplo.

Se você estivesse entre os gestores de qualquer uma dessas redes, como faria para saber o exato momento de comprar algum item, a fim de que não houvesse ruptura nos estoques?

Ou, ainda, como saberia o número exato de itens a serem comprados? Afinal, a empresa conta com uma cadeia operacional tão grande, são tantos pontos para analisar...

É aí que o ERP entra em ação! O software ficará responsável por controlar o estoque da companhia, de acordo com as mercadorias que forem vendidas e entregues.

Dessa maneira, conseguirá informar aos compradores – de maneira automática e instantânea – quais itens devem ser repostos em cada loja, por exemplo. Fala se não é uma ajuda e tanto?!

Como o ERP influencia na gestão de uma empresa?

De acordo com o que foi parametrizado no momento da implantação do ERP, os gestores terão acesso imediato aos relatórios emitidos pelo sistema. Não há necessidade de se fazer algum cálculo ou preocupar-se com algum aspecto específico.

O ERP é responsável por fazer todas as contas e indicar o momento certo para cada movimentação da empresa. Inclusive, o sistema também é capaz de indicar o tempo que todo o processamento leva.

Quando algum produto é comprado, por exemplo, o fornecedor recebe automaticamente o pedido de compra, emite os documentos necessários para venda e a empresa, por sua vez, o importa na mesma hora.

Toda e qualquer conferência é realizada pelo ERP, bem como questões financeiras e desdobramentos fiscais!

A principal influência que o software tem sobre a gestão de uma empresa, sem dúvidas, é a automatização dos processos complexos. Assim, os colaboradores ficam um pouco mais livres para realizar interações humanas, como negociações e tomadas de decisões.

Termo do dia

Persio Arida

Conheça quem é o economista Persio Arida e seu papel na idealização e implementação do Plano Real.

Veja outros termos