Última modificação em 12 de novembro de 2020

O que é Efeito Posse?

O efeito posse - também conhecido como efeito dotação ou Endowment Effect  - é uma expressão da economia comportamental que designa a tendência que as pessoas têm de valorizar em excesso os itens que estão sob sua posse, em detrimento daqueles que não estão.

Esse conceito foi cunhado pelo economista Richard Thaler e demonstra que nossas tomadas de decisões não são tão racionais como pensamos, ou como gostaríamos que fossem...

Esse análise foi definida a partir de um estudo realizado por Daniel Kahneman, Jack Knetsch e o próprio Richard Thaler. Esse estudo - que visava demonstrar como o efeito posse atua sobre nossas decisões - foi realizado com um grupo de pessoas que recebia, no início da pesquisa, uma caneca e depois recebiam uma oferta para trocá-la por um outro item: uma caneta.

O que eles observaram com o estudo foi que a maior parte das pessoas que participaram desse não queriam trocar sua caneca por uma caneta. No entanto, não haviam justificativas plausíveis para não aceitar a troca, uma vez que não há diferenças práticas nesse contexto em possuir uma caneca ou uma caneta. 

Sendo assim, por meio desse estudo os economistas comprovaram que essa atitude é o efeito posse: algo completamente psicológico que rege a tomada dessa decisão.

Desse modo, podemos dizer que muitas das decisões que tomamos em termos financeiros estão mais relacionadas com nossa psicologia complexa do que com a nossa racionalidade - igualmente complexa, por assim dizer.

Como o Efeito Posse influencia decisões sobre investimentos?

Atuar no mercado financeiro - em especial no mercado de renda variável - é algo que exige o máximo possível de sangue frio. Apesar disso, não conseguimos controlar completamente os efeitos físicos e psicológicos causados em nossos corpos no momento de comprar e vender
uma ação.

A adrenalina no momento de compra e venda de ações, por exemplo, é inevitável! Com relação ao efeito posse não é muito diferente.

Há uma série de critérios objetivos bem delimitados para uma pessoa querer comprar ou vender uma ação. É evidente que, como o desejo é obter lucro, o ideal é comprar na baixa e vender na alta, certo?

No entanto, o efeito posse também atua sobre essa que parece uma decisão racional e objetiva.

Quando a pessoa não tem posse sobre um papel, ele não tem valor emocional para ela. É literalmente isso: não vale muito porque não é daquela pessoa. Logo, ela está disposta a pagar o menor valor possível por ele.

Contudo, uma vez sob posse dessa pessoa, a ação passa a valer mais. Está em jogo aqui o valor sentimental: “eu não vou me desfazer disso por um preço qualquer”, ela pensa.

Ainda que haja um certo lucro na venda, há sempre a busca por mais...

Nesse itinerário do efeito posse, é possível perder oportunidades? Com certeza!

Por isso é importante conhecer como o efeito posse atua e quais são suas causas. Ainda que não seja possível apagar completamente os efeitos psicológicos em decisões financeiras, é possível identificá-los e mitigá-los.

O que causa o Efeito Posse?

O efeito posse está diretamente associado à emoções como medo e ansiedade, e perpassa os mais diversos âmbitos de nossas vidas.

Você já se obrigou a passar por alguma situação frustrante e desgastante no trabalho para não perder o emprego, por exemplo? Já deixou de discutir com alguém para não perder a amizade?

Pois bem, isso é o efeito posse atuando! Aversão à perda e aversão ao risco são as causas principais desse fenômeno.

Isso no mercado financeiro se traduz por: por medo de perder dinheiro com alguma transação, você não a realiza. E, como vimos, essa atuação do efeito posse nas finanças pode fazer você perder oportunidades.

Estar atento ao efeito posse, portanto, é algo que pode melhorar - e muito! - a forma como você investe e até mesmo como se relaciona profissional e afetivamente.

Termo do dia

Risco Operacional

O que é Risco Operacional? O risco operacional engloba todas as possíveis falhas internas de organizações ou investimentos capazes de gerar algum prejuízo. Você já notou…