O que é Descotização?

Descotização é o processo de converter as cotas de um fundo de investimentos em dinheiro e liberar esse valor para o investidor que solicitou o resgate. A descotização em si, porém, não pode ser confundida com o resgate das cotas, que consiste em retirar o dinheiro já liberado.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Entendendo a Descotização

Quando um investidor decide aplicar parte de seus recursos na compra de cotas de fundos de investimento, as operações não ocorre necessariamente de imediato. Existe um processo, que geralmente leva 1 dia, chamado de cotização, pelo qual o dinheiro é convertido em cotas.

Da mesma maneira, quando ele decide sair de um fundo, também existe um processo a ser seguido e um tempo necessário para converter as cotas de volta em dinheiro, o qual poderá ser resgatado pelos cotistas. Por isso, falamos em descotização.

Os prazos de descotização não são padronizados para todos os fundos; em vez disso, são determinados individualmente pelo regulamento de cada fundo, um documento oficial no qual são apresentadas as regras adotadas para esse e vários outros assuntos importantes.

Os prazos são indicados de uma maneira simplificada. Por exemplo, se o regulamento informa "D+1", significa que o processo é realizado um dia útil após a solicitação. Se informa "D+0", é realizado no mesmo dia da solicitação.

O pagamento do resgate deve ser feito no prazo previsto no regulamento, que não pode exceder cinco dias úteis a partir da conversão das cotas, isto é, da descotização.

Em alguns casos, o fundo pode ser fechado para a realização de resgates, a fim de protegê-lo contra riscos de liquidez. Nesse caso, mesmo considerando os prazos previstos no regulamento, não é possível realizar a descotização.

Descotização e P/L dos fundos 

Existe uma relação direta entre o processo de descotização e o P/L (patrimônio líquido​​​​​​​) dos fundos, e essa relação tem suas implicações.

Antes de mais nada, é preciso lembrar que o P/L de um fundo é o montante de dinheiro que está investido nesse fundo, e que equivale ao valor das cotas multiplicado pela quantidade de cotas. Podemos representar essa relação pela seguinte equação:

PL = Vc x Qc

Em fundos do tipo condomínio aberto, em um evento de solicitação de  resgate, o cliente retira dinheiro do fundo. Ao fazer isso, o P/L diminui. Para manter a equação que você viu acima, sem alterar o valor de cada cota, é necessário diminuir quantidade de cotas.

Vejamos com um exemplo.

Considere um fundo condomínio aberto fictício. R$1 milhão em dinheiro de cotistas está investido nesse fundo, distribuído em 10.000 cotas que valem R$100 cada. Portanto, temos a seguinte relação:

1.000.000 = 100 x 10.000

Suponha que um ou alguns cotistas decidiram solicitar um resgate, ou seja, haverá um processo de descotização. Se for solicitado um resgate de R$100.000, a equação ficará assim:

900.000 = 100 x 9.000 

Podemos observar, portanto, que, nos fundos de condomínio aberto, a quantidade de cotas acompanha aplicações e resgates.

Nos fundos de condomínio fechado, a situação é diferente, pois não existe resgate de cotas até que o fundo seja fechado.

Os cotistas não podem decidir fazer a descotização a qualquer momento. O que pode acontecer é o ajuste do valor da cota para permitir a retirada de recursos do fundo, mantendo a quantidade de cotas.

Nesse caso, usando o mesmo exemplo acima, se um ou alguns cotistas decidirem retirar R$100.000 do fundo, a equação ficará assim:

900.000 = 90 x 10.000

Por isso, quando um cotista decide tirar recursos de um fundo condomínio fechado, essa decisão atinge todos os cotistas, pois o valor das cotas de todos será reduzido. Então, essa retirada só pode ser determinada por votação da assembleia de cotistas.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Lei Kandir

A Lei Kandir foi uma das iniciativas do legislativo para incentivar a exportação, porém, causou muita polêmica. Saiba mais!