Open Nav

Custeio ABC

O que é o custeio ABC?

Tão importante quanto o montante que uma empresa ganha, a forma como ela utiliza o dinheiro também faz toda a diferença. Uma das formas de garantir o melhor aproveitamento desses recursos é o custeio ABC, sigla para Activity Based Costing, que trata dos custos durante o processo de fabricação de um produto.

O método do custeio ABC propõe uma análise detalhada das atividades em cada etapa da produção. Além de observar os custos envolvidos, ele permite que os processos sejam otimizados, ajudando na tomada de decisões mais estratégicas.


Para que serve o custeio ABC?

A criação do método de custeio ABC foi atribuída aos professores Robert Kaplan e Robin Cooper. Durante as décadas de 1980 e 1990, eles criaram diversos sistemas de gerenciamento e ferramentas úteis para as empresas, inclusive este.

Para eles, o principal objetivo no uso do custeio ABC era, e ainda é, propiciar uma visão mais apurada dos custos. Isso acontece a partir da análise das atividades e da relação delas com o “custeio dos objetos”, que seriam o produto, clientes e serviços.

Importância do custeio ABC

A partir do custeio ABC, uma empresa consegue analisar as informações de gerenciamento, que indica pontos a serem trabalhados, como redução de custos, otimização de tempo de cada etapa, de matéria-prima e de etapas internas e de vendas.

As informações vão servir de diagnóstico para os gestores da organização. Assim, eles poderão tomar decisões estratégicas com mais segurança.

Para ajudar nessa análise sobre como o dinheiro é usado dentro da empresa, os custos podem ser verificados dentro de dois segmentos: os custos diretos e os indiretos. A partir deles, pode-se verificar onde reduzir os gastos, e onde merece mais investimentos para melhorar a produtividade:

Custos diretos

São gastos relacionados com a produção do item ou serviço prestado pela empresa. Utilizando o exemplo de uma fábrica, seriam os custos com matéria-prima, funcionários e embalagens.

Custos indiretos

São custos que não estão relacionados à atividade final, mas trabalhadores e áreas que viabilizem a produção principal. Considerando o exemplo da fábrica, alguns exemplos seriam:

  • Os custos de funcionários que não trabalham na fábrica, mas estão envolvidos no processo produtivo;
  • A depreciação e a manutenção de equipamentos;
  • As contas de água, energia elétrica, internet e telefone;
  • Itens de escritório e limpeza.

Aplicação e direcionadores do custeio ABC

Para o uso do custeio ABC, é preciso utilizar marcadores para extrair os dados. Analisa-se os custos causados, ou direcionados, para determinada operação. De acordo com Robert e Kaplan, o custeio ABC é dividido em três direcionamentos:

  • direcionadores de transação: referem-se ao número operações repetitivas, set ups da produção e de pedidos;
  • direcionadores de duração: o tempo de cada atividade e suas variações na produção de um item ou realização de um serviço;
  • direcionadores de intensidade: quais os recursos necessários para cada atividade, especialmente para as mais complexas ou diferenciadas em relação às demais.

Custos

Para identificar quais etapas estão “sugando” mais recursos da empresa e o que gera essa necessidade de consumo, é importante observar dois grupos de custos:

Custos de recursos: analisa-se a quantidade de recursos utilizada para determinada etapa. Usando novamente o exemplo da fábrica, pode-se observar a quantidade de energia elétrica consumida em uma das fases da operação.

Custos de atividades: a avaliação recai sobre o que é necessário para realizar determinada atividade. Pode ser o número de trabalhadores, materiais, ferramentas, etc.

Como Investir nos Melhores Fundos

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados