Última modificação em 14 de outubro de 2020

O que é COA?

Cost of Allocation, ou simplesmente COA, é o nome dado ao processo de alocação de custos de uma empresa, permitindo assim que ela avalie os resultados com um determinado produto ou serviço.

Geralmente, o propósito do Cost of Allocation é utilizado de maneira isolada para cada tipo de produto, permitindo assim a avaliação de desempenho individual de cada um deles. É comum, ao menos no Brasil, que sejam empregados "centros de custos" para essa finalidade.

Esse é um ritual praticamente obrigatório para a gestão de qualquer modalidade de negócio. Sem mensurar o potencial de cada linha de produtos e serviços, fica difícil identificar onde a companhia deve focar seus esforços — seja para maximizar os lucros, seja para cortar itens que apresentam algum tipo de ineficiência.


Como funciona o COA?

Para o uso de um processo de Cost of Allocation, as empresas também precisam agrupar os diferentes tipos de custos que envolvem a sua base produtiva operacional.

O funcionamento é relativamente simples. Tudo começa pela identificação dos custos envolvidos e acompanhar os números envolvidos em cada tipo de produto. São, em suma, três possibilidades:

Vamos entender brevemente cada um deles.

Custos diretos 

Os custos diretos são aqueles que podem ser diretamente atribuídos a um produto ou serviço em específico. São, geralmente, valores recorrentes em que a companhia precisa investir para garantir a sua produção.

Podemos citar, por exemplo, os pagamentos de colaboradores que trabalhem focados em um departamento específico de um produto ou gastos com um programa interno que tenha o objetivo de garantir essa produção.

O ponto mais importante nos custos diretos é que você sabe que eles são diretamente associados a esse produto ou serviço em desenvolvimento. Isso é o que determina como será feita a alocação no COA.

Custos indiretos 

Já os custos indiretos são aqueles os quais, embora importantes para o funcionamento da empresa, não estão direta e objetivamente ligados ao produto ou serviço em análise.

Basicamente, em suma, aqui estão aqueles gastos com a estrutura operacional da organização, como equipe de segurança, equipe de limpeza, manutenção, entre outros.

Há mais um ponto importante dos custos indiretos no processo de COA que é o fato de que eles são classificados como custos fixos (isto é, com valores fixos e recorrentes) e custos variáveis (isto é, aumentam ou diminuem de acordo com a produção).

Custos gerais

Por fim, ainda temos os custos gerais (também conhecidos como custos administrativos) que são aqueles gastos que não estão diretamente ligados com a cadeia produtiva do produto ou serviço em questão, mas nem por isso deixam de ser computados.

São exemplos de custos gerais o aluguel do escritório administrativo, pagamentos de seguros ou investimentos em pesquisa & desenvolvimento, por exemplo. Repare que são gastos importantes para o desenvolvimento de um negócio, mas não estão intimamente ligados com a produção em si.

Quais as vantagens do COA?

Empresas que praticam o processo de Cost of Allocation estão em vantagem, pois esse hábito permite uma grande facilidade em identificar quais os produtos que são mais rentáveis e aqueles que geram prejuízo.

Desse processo surge, portanto, uma maior facilidade na tomada de decisão sobre corte de custos ou mesmo a descontinuidade de um produto dentro da linha de produção. Acaba, na prática, por se apresentar como uma vantagem competitiva para aqueles negócios que praticam esse tipo de análise com frequência.

Além disso, o COA permite também o acompanhamento do desempenho de cada setor da empresa, algo que os torna motivados e produtivos para melhorar sempre o gerenciamento dos custos envolvidos no trabalho.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Termo do dia

Fundo Fechado

O que é um fundo fechado? No universo dos fundos de investimentos existem diferentes tipos de classificação como renda fixa, imobiliários, multimercados e cambiais, por exemplo. Essa,…

Veja outros termos