Última modificação em 19 de agosto de 2020

O que é CFP

CFP, ou Certified Financial Planner, é o nome de uma certificação para profissionais do mercado financeiro. Ela comprova que o profissional está apto a atuar como planejador financeiro, isto é, alguém que presta serviços apoiando pessoas a gerir melhor seu patrimônio.

É importante notar que a CVM não exige o CFP para autorizar que alguém trabalhe como planejador financeiro. Por isso, essa certificação é considerada opcional. No entanto, ela acaba sendo indispensável, já que a maioria das pessoas não vai contratar um planejador se ele não apresentar o certificado CFP.

O CFP só é obrigatório para quem trabalhar como planejador financeiro na área de private banking dos bancos afiliados à ANBIMA, por uma exigência desta. Além disso, a ANBIMA dispensa quem tiver essa certificação da necessidade de obter CPA-10, CPA-20 ou CEA.

Quem fornece o CFP

Existem várias certificações para trabalhar no mercado financeiro, que são fornecidas por diferentes entidades. No caso do CFP, o modelo foi inspirado em uma certificação dos EUA, que está presente em 26 países diferentes, inclusive o Brasil.

Nos EUA, essa certificação é fornecida pelo Financial Planner Board of Standards (Conselho de Parâmetros para Planejadores Financeiros). Já no Brasil, ela é fornecida pela Planejar (Associação dos Planejadores Financeiros), que existe desde 2000.

Pré-requisitos para se candidatar ao CFP

Diferentemente do que acontece com outras certificações do mercado financeiro, não é qualquer um que pode se candidatar ao CFP. Para isso, é preciso cumprir alguns pré-requisitos.

O primeiro é ter diploma de nível superior, em instituição de ensino reconhecida pelo MEC. A formação pode ser em qualquer área.

O segundo é apresentar, no mínimo, um ano de experiência supervisionada ou três anos de experiência sem supervisão atuando em atividades que envolvam serviços financeiros para pessoas físicas.

As atividades aceitas incluem gestão de investimentos, planejamento fiscal, planejamento de aposentadoria, entre outras.

O terceiro é aderir ao código de ética da entidade que fornece o certificado, a Planejar.

A prova de CFP

Quem atende todos os pré-requisitos deve, então, realizar uma prova para conquistar o certificado CFP.

Essa prova consiste em 140 perguntas em formato de múltipla escolha. Cada questão tem quatro respostas possíveis. O tempo total da prova é de mais de 7 horas.

Um fato interessante é que a prova de CFP não precisa ser realizada toda de uma vez. Se o candidato quiser, ele pode completá-la em módulos. A única regra é que todas as provas dos módulos têm que ser realizadas em um período de tempo de, no máximo, 24 meses.

Além disso, para obter aprovação, é necessário atingir um aproveitamento mínimo de 70% na prova como um todo e, também, um aproveitamento mínimo de 50% em cada módulo. Ou seja, quem obtiver 71% de aproveitamento na prova como um todo, mas só tiver 49% de aproveitamento em qualquer módulo, não conseguirá o certificado.

São seis módulos:

Cada módulo tem um peso diferente na prova. O maior peso é de planejamento financeiro e ética, que vale 38% da nota.

Até 2020, o valor da prova era de R$ 1.300,00 para realizar todos os módulos; ou R$ 350,00 para realizar cada módulo separadamente.

Validade da certificação CFP

O CFP tem validade de 2 anos. Para renová-lo, é preciso completar 30 créditos de educação continuada ou mais nesse período, sendo que pelo menos 2 créditos devem ser em cursos relacionados a ética profissional.

Se o profissional não cumprir os créditos de renovação ou não fizer a contribuição obrigatória à Planejar no prazo, a certificação fica suspensa por até seis meses. Caso não haja a regularização da situação nesse prazo, ela é cancelada, sendo necessário realizar a prova novamente.

Termo do dia

Contrato atípico de aluguel

O que é Contrato Atípico de Aluguel Contrato Atípico de Aluguel é um termo geral para designar contratos de locação de imóvel que não se enquadram…