Última modificação em 17 de agosto de 2020

O que são bens não duráveis?

Os bens não duráveis são um tipo específico de bem de consumo, cuja característica principal está em ter uma alta necessidade de reposição para o cliente.

Como os demais bens de consumo, os bens não duráveis estão focados em satisfazer as necessidades do consumidor final - pessoas como você, os seus familiares, amigos e colegas de trabalho, que todos os dias precisam comer, beber, se locomover, se vestir, se divertir e, para isso, consomem.

Se você tem sede, compra uma garrafa d'água ou enche um copo no filtro de casa - nesse último caso, é preciso comprar um filtro antes e um conjunto de copos, além de firmar um contrato com a empresa fornecedora de água e esgoto da sua cidade. Por outro lado, se você quer ter a sua própria casa, adquire um imóvel ou mesmo aluga um.

Cada uma dessas necessidades pede uma periodicidade diferente: já pensou comprar uma casa como quem compra uma garrafa d'água? Ou se hidratar com a mesma frequência que se compra uma casa (para muitos, é uma vez na vida, no máximo)? Sem falar em sequer se alimentar com a mesma frequência que se bebe água. É loucura mesmo.

Justamente por isso, cada bem de consumo é classificado de uma forma diferente: eles não só pedem uma estratégia específica do consumidor para serem adquiridos a cada dia, mês ou ano, como têm um impacto diferente na economia nacional e global.

Não estamos dizendo que um é mais importante do que o outro, nem que todos os produtos de uma mesma categoria são igualmente impactantes economicamente, mas que os padrões de consumo ligados a esses bens têm papel relevante nas dinâmicas de produção e desenvolvimento econômico.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Como os bens não duráveis funcionam?

Os bens não duráveis englobam, especificamente, aqueles produtos que precisam ser repostos rotineiramente, porque a sua frequência de consumo é realmente muito alta na maioria dos casos - às vezes, chegando até o diária.

Sabe aquele café que você toma todos os dias ao acordar? Ou o arroz sempre presente no seu almoço ou no seu jantar? O mesmo podemos dizer dos 2 litros de água consumidos no dia a dia, daquela barra de chocolate que dura pouco tempo na sua despensa ou até certos vícios, como é o caso do cigarro que algumas pessoas fumam todos os dias.

Se pensar bem, nenhum desses itens é adquirido com o intuito de durar, porque são rapidamente consumidos. Mesmo aqueles produtos que passam dias abandonados na sua despensa, até que a data de validade se aproxime e você crie coragem de criar uma receita com eles, quando consumidos adequadamente pedem reposição.

Você pode esquecer aquela azeitona no fundo do armário, mas se quiser preparar refeições com esse ingrediente de forma contínua, tem que comprar mais. Eles não são reutilizáveis.

O mesmo não acontece com produtos de outras categorias: bens de consumo semiduráveis, como as roupas, não precisam ser trocados todos os dias. Se quiser usar a mesma camisa amanhã, basta colocá-la para lavar na máquina e vesti-la de novo no dia seguinte. O mesmo pode-se dizer dos bens de consumo duráveis: uma vez comprado um carro, você não precisa comprar outro amanhã. Basta reabastecer e partir.

De qualquer forma, para produzir qualquer tipo de bem de consumo é necessário antes a união dos bens de produção e dos bens de capital em toda a cadeia produtiva. Caracterizados como matérias-primas e ferramentas empregadas na produção, esses bens trabalham em conjunto para transformar um item primário em algo que possamos consumir para satisfazer as nossas necessidades cotidianas.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Keynes

Quem foi John Maynard Keynes John Maynard Keynes foi apontado pela revista norte-americana Time como uma das personalidades mais importantes do século passado. Economista fundador da…

Veja outros termos