Open Nav Logo Mais Retorno

Balancete

Avalie este post

O que é balancete?

O balancete é um relatório de cunho contábil realizado pelas organizações para, através dos saldos de débitos e créditos, apresentar um recorte da sua saúde financeira em determinado período.

O balancete tem caráter opcional, ou seja, a criação do documento não é exigido por nenhuma regulamentação específica ou conselho. O seu objetivo principal é, sobretudo, gerencial, auxiliando os administradores a tomarem decisões mais assertivas com base no desempenho exprimido.

Mas atenção! O balancete não deve ser confundido com o balanço patrimonial [linkar]. Embora sejam dois importantes relatórios da Contabilidade, que utilizam o Livro Razão como fonte, as suas características e requisitos são bem diferentes.

Enquanto o primeiro é um relatório contábil parcial e interno, o segundo é obrigatório para as empresas de capital aberto e se destina ao público externo.

Como o balancete é feito?

O balancete é um demonstrativo financeiro que relaciona os saldos de débito e crédito de uma organização.

Para a sua confecção, se utilizam como base os dados contidos no Livro Razão - ou seja, as movimentações financeiras desenhadas nas contas patrimoniais e de resultado.

Primeiro, o saldo de cada conta é identificado de acordo com a sua natureza (devedora ou credora), de modo que os grupos aos quais a conta pertence (ativos, passivos ou patrimônio líquido) sejam desconsiderados.

Em seguida, são transferidos para o Balancete, organizado em formato de razonete. Aqui, o saldo devedor consta no lado esquerdo, enquanto o saldo credor consta no lado direito.

A soma de todos os componentes, de cada lado, é o que gera os saldos finais.

Importante notar que o saldo final de um deve, obrigatoriamente, ser o saldo final do outro.

Do contrário, significa que existem erros nas contas e que devem ser revistas.

Felizmente, o balancete pode sofrer alterações a qualquer momento, permitindo, assim, atualizações e averiguações adicionais.

Uma nova versão do balancete pode ser apresentada diaria, semanal, quinzenal e/ou mensalmente… Na verdade, surge a partir de uma demanda da própria organização, que pode definir padrões temporais rígidos para a sua confecção ou solicitá-los conforme necessidades específicas.

Qual é a importância do balancete para as organizações?

O balancete é uma importante ferramenta para a gestão eficiente das organizações. Afinal, os setores financeiro e tributário têm um grande peso sobre o sucesso das operações.

Assim sendo, o balancete é fundamental para o acompanhamento mais atualizado possível do desempenho da empresa. Como veremos adiante, o balanço, que é o único relatório obrigatório do gênero, só é lançado a cada um ano.

Já imaginou ter que, como gestor, tomar decisões estratégicas baseando-se apenas em informações de 3, 6, 10 meses atrás? As chances de leituras erradas, principalmente em meios tão dinâmicos quanto o empresarial, são enormes.

Além disso, a elaboração de um documento que compare todas as contas tem, também, a função de auditar a integridade da atividade contábil.

Não somente erros (como omissões, duplicidades e inversões) são apontados quando os saldos devedores e credores são divergentes. Eventuais fraudes em andamento também podem ser detectadas nesse momento.

Afinal, é mais fácil eliminar desvios nos cálculos (e na administração) antes da divulgação do balanço patrimonial do que após o seu lançamento.

A Master Blenders, por exemplo, pode dizer com propriedade o quanto a existência dessas falhas no balanço é, por si só, capaz de gerar grandes estragos.

Em 2012, foi descoberto um esquema de fraude contábil na sua subsidiária, a Pilão, com impacto sobre mais de três anos de balanços contábeis. Ao todo, o volume estimado em perdas era de, ao menos, 95 milhões de euros.

E esses nem foram os maiores prejuízos à empresa, que amargou sanções compensatórios do mercado de ações e uma forte desconfiança por parte dos investidores.

Acredite: falhar nos balancetes é falhar nos balanços, e falhar nos balanços é prejuízo certo.

Qual é a diferença entre balanço e balancete?

O balanço patrimonial é um demonstrativo obrigatório, cujo objetivo é indicar a posição financeira e patrimonial de uma companhia.

De forma informal, pode ser descrito como um enorme conjunto de balancetes. Enquanto esse último está focado em recortes de tempo específico e mínimos, o balanço engloba todo o exercício social.

É composto, essencialmente, de ativos, passivos e patrimônio líquido, sem obedecer à estrutura de razonete adotado pelos balancetes.

A sua composição é regrada pelo Normas Brasileiras de Contabilidade (NBC) e Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

Para contato direto com ambas as estruturas, sugerimos que você visite o site do Conselho Federal de Economia, que disponibiliza todos os seus relatórios produzidos a partir de 2015. Vale a pena conferir!

 

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Avalie este post
Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão