Imagine a Apple em seu início. Ali mesmo na garagem com Steve Jobs e Wozniack varando madrugadas para desenvolver suas ideias.

Felizmente, a Apple começou a se expandir, mas sem muitos recursos ainda. O que Jobs tinha a oferecer para angariar esses recursos, necessários para desenvolver as tecnologias que eles pensavam, eram ações da empresa.

Eles sabiam que a ideia era boa. Era difícil, no entanto, perceber isso de fora.

Aqueles que enxergaram potencial ali e aceitaram comprar ações da empresa no início, hoje devem viver com sorrisos de orelha a orelha. A Apple é a empresa mais valiosa da história e recentemente ultrapassou a marca de US$ 1 trilhão em valor.

Valor, essa é a palavra-chave. Aqueles investidores, do início da empresa, enxergaram valor nela e foram recompensados por isso.

É justamente esse tipo de operação que vamos abordar hoje, a filosofia de investimentos conhecida como Value Investing.

Por isso, continue lendo para saber mais sobre:

  1. O que é o Value Investing
  2. Grandes nomes do Value Investing
  3. Como montar uma carteira (ou escolher uma ação) baseado no Value Investing
  4. Vantagens do Value Investing
  5. Críticas ao Value Investing

O que é Value Investing

O que é Value Investing

O Value Investing é uma estratégia de investimento onde se deixa de lado flutuações de curto prazo, focando no quão robusta a empresa é aquela palavrinha da introdução: “valor“. A empresa tem de mostrar o real valor para ter sentido investir nela.

Traduzindo a expressão, Value Investing significa “investimento em valor” e na realidade, é exatamente isso. Observar valor na empresa, o que significa que ela irá se valorizar.

A estratégia consiste em comprar ações de empresas que têm bons indicadores financeiros e boas perspectivas de crescimento. Ou seja, segue muitos conceitos da análise fundamentalista.

A estratégia é analisar as empresas e verificar aquelas que estão abaixo do valor que elas possuem ou têm chance de possuir. Essas oportunidades tendem a aparecer de tempos em tempos, visto que o mercado sempre passa por bons e maus momentos.

Às vezes, um mal momento penaliza também as ações que têm grande valor e por isso essas oportunidades aparecem.

Tem que se manter sangue frio e ter convicção. Uma empresa não se torna melhor ou pior pela simples oscilação de preços, mas pela qualidade do produto que vende ou serviço que presta e resultados que obtém.

Justamente por não estar muito preocupada com as oscilações características do mercado, essa forma de montar a sua carteira de investimento costuma ser mais bem-sucedida quando analisada em longo prazo. Logo, é pouco indicada para investidores que buscam retornos rápidos.

Grandes nomes do Value Investing

Grandes nomes do Value Investing

Essa estratégia é muito reconhecida pois existem diversos nomes conhecidos que a seguem religiosamente.

O mais famoso, sem dúvida, é o guru Warren Buffett, fundador da Bekshire Hathaway  e constantemente presente no topo das listas de maiores fortunas do mundo.

A empresa de Buffett constantemente adquire grandes quantidades de ações de empresas chaves, sempre utilizando do Value Investing como sua estratégia de seleção.

A mais famosa e lucrativa aquisição da Berkshire foi a Coca-Cola.

Buffett tem cerca de 9% da Coca-cola e a razão de investir nessa empresa não envolve fórmulas e análises sofisticadas, é mais simples, na verdade: Buffett ama Coca-cola e acha que é um produto que as pessoas sempre vão consumir. Ou seja, a Coca-cola sempre terá valor (algo que já está mais que comprovado mesmo).

O outro grande nome do Value Investing é Benjamin Graham. Percursor dessa estratégia, na verdade, e um investidor que serviu de espelho para Warren Buffett.

Graham introduziu o conceito de “sempre invista considerando uma margem de segurança”, que é justamente adquirir ações por um preço descontado do que elas realmente têm, considerando que empresas boas irão retomar seu verdadeiro valor.

Ele ressalta ainda a importância de ter sangue frio e aproveitar oportunidades em momentos de stress. Isso está muito relacionado a se ter em mente que essa estratégia trará frutos no longo prazo.

Irving Kahn foi outro discípulo de Benjamin Graham. Foi um investidor de longo prazo (inclusive na sua vida, já que morreu com 109 anos).

Irving Kahn lucrou até mesmo na grande crise de 1929 ao fazer algumas posições vendidas, prevendo que o pior estava por vir.

Ele mais do que ninguém representa o perfil de ter sangue frio. Ele dizia que se o mercado está caro demais, é preciso o investidor saber esperar. Essa citação de Kahn sintetiza seu pensamento:

“Estudo empresas e penso sobre o retorno que elas podem oferecer em quatro ou cinco anos. Se a ação cai, eu tenho tempo para avaliar a tempestade e talvez comprar mais por um preço menor. Se meus argumentos para o investimento não mudaram, devo gostar ainda mais do papel se ele cair.”

Warren Buffett também pensava como Kahn sobre ter empresas que realmente agreguem valor e ofertem produtos ou serviços essenciais.

Kahn dizia que “todo mundo precisa de uma camisa nova”. Isso exemplifica que ele estava focado em empresas que ofertem produtos que irão sempre ser comercializados.

Como montar uma carteira (ou escolher uma ação) baseado no Value Investing

Como montar uma carteira baseada no Value Investing

Existem 4 princípios básicos que você precisa seguir se quiser montar uma carteira baseada no Value Investing:

Investir levando em conta o Value Investing é buscar empresas para se tornar sócio de fato. Ou seja, comprar empresas não pensando em ganhos de capital de curto prazo, mas em sua capacidade de gerar lucros;

Outro ponto importante do Value Investing é a sua confiança. É preciso buscar sempre empresas que você gosta, entende e confia.

Tendo os dois primeiros passos em vistas, agora é hora da compra da empresa. Busque empresas que estejam com descontos. Um bom modo de saber se uma empresa está ou não com desconto é olhar seus múltiplos (indicadores da análise fundamentalista). Olhar o histórico da empresa de, por exemplo, o P/E, que mostra o preço em relação aos ganhos da empresa.

O próximo passo é o sangue frio, não se desesperar. Lembrar que movimentos de baixa podem significar oportunidades e pensar com calma em momentos de grande euforia.
Apesar de nomes de peso com resultados comprovados utilizando essa estratégia de investimentos, vale ainda destacar algumas de suas principais vantagens e desvantagens.

Vantagens do Value Investing

Vantagens do Value Investing

O grande ponto positivo que investidores de valor têm ao utilizar essas estratégias é identificar boas empresas e conseguir bons descontos na hora de compra, além de não se abaterem em situações de crise.

Ao utilizar essa forma de investimento para compor sua carteira, se traçar um cenário positivo, você poderá se tornar sócio de uma empresa magnifica e ter grandes lucros no futuro.

Como será que está a carteira de quem enxergou valor em Magazine Luiza há 3 anos?

Além disso, você não ficará tão focado em stresses de curto prazo que oneram suas perspectivas.

Ou seja, um investidor de valor poderá ter grandes ganhos de longo prazo, caso tenha uma boa análise e faça as compras corretas.

Críticas ao Value Investing

Críticas ao Value Investing

O Value Investing sofre de algumas críticas, principalmente no Brasil. A principal crítica se diz à incerteza sobre o futuro.

Como posso saber se as empresas estão realmente baratas ou caras neste momento?

Por exemplo, imagine a situação atual, que o Ibovespa sofreu um grande tombo nesse ano. Pode-se pensar que as ações estão baratas e, portanto, uma é uma boa oportunidade de compra.

Mas pense como o cenário político irá influenciar em todo o mercado daqui pra frente.

De fato, o Ibovespa pode estar barato, mas se um cenário eleitoral ruim para o mercado (sem entrar em questões ideológicas) se concretizar, o Ibovespa cairá ainda mais e assim o cenário de bolsa barata não se concretizaria.

Outra crítica comum ao Value Investing é sua característica de longo prazo, não se preocupando com ganhos de curto prazo.

Isso pode ser ruim na medida que existem diversas oportunidades de ganhos rápidos que o Value Investing não aproveitaria.

Ter que esperar muito tempo para maturar grandes retornos pode ser ruim (lembre-se que o dinheiro tem valor no tempo).

Conclusão

O Value Investing é uma estratégia famosa de investimento que grandes investidores bem-sucedidos utilizam e, portanto, importante se levar em conta e conhecer.

É uma estratégia focada em valor das empresas e que tem mais sentido no longo prazo. É importante verificar empresas “descontadas”, nesse sentido.

Existem diversas críticas que o Value Investing sofre e como sempre, verifique seu perfil de risco e objetivos (principalmente em relação ao tempo) ao utilizar essa estratégia.

Ficou com alguma dúvida ou quer contribuir mais com o assunto? Comente abaixo!

Compartilhe esse conteúdo com mais investidores que você deseja ajudar a compreender melhor a estratégia do Value Investing:

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais:

Value Investing: entenda o que é e como funciona essa estratégia de investimento
4.8 (95%) 8 votos