Por aqui falamos bastante dos melhores fundos de investimento. Já fizemos de 2017 e do primeiro semestre de 2018.

Em ambos os textos, existem fundos que chamamos de co-irmãos de outros fundos, ou seja, eles seguem e tendem a performar juntos.

Isso não foi uma coincidência. Não é incomum existirem fundos irmãos assim.

Mas qual seria o sentido de terem dois fundos que são iguais? O que você ou a gestora ganham com isso?

É isso que vou explicar mais a fundo hoje.

Por isso, continue lendo, para saber mais sobre:

  1. O que é um fundo Master, Feeder e FIC
  2. Por que existe a estrutura master feeder

O que é um fundo Master, Feeder ou FIC

O que é Fundo Master, Feeder e FIC

Sendo direto, a estrutura master feeder é composta por um fundo que investe em outro fundo da própria instituição.

O fundo  feeder investe sempre em outro fundo chamado de fundo master. É pelo master que é feita efetivamente a gestão do fundo, com a compra e venda de ativos.

É por isso que ele leva esse nome, afinal de contas o fundo feeder (ou alimentador se traduzido ao pé da letra para o português), abastece o fundo master com o dinheiro dos investidores.

No fundo master também não existem cotistas pessoas físicas, mas apenas os fundos que investem nele.

Os feeders, por outro lado, são os fundos que os cotistas de fato colocam seu dinheiro e aplicam todo seus recursos em fundos masters.

Você pode pensar. Qual a razão disso? Por que não fazer apenas um único fundo e investir diretamente nele?

Faz muito sentido a sua pergunta, mas existe uma explicação por trás de existir a estrutura feeder que vou detalhar melhor na seção de vantagens, mais abaixo.

Já os fundos de investimento em cotas, ou simplesmente FICs, apesar de seguirem uma lógica parecida já que, como o próprio nome diz, investem em cotas de outros fundos, são diferentes dos fundos master feeders.

Enquanto os feeders investem em nichos específicos e apenas em um único fundo master da própria instituição, os fundos de fundos investem em diversos fundos como uma forma de diversificar sua carteira.

Os FICs também são conhecidos como fundos multigestores, pois permitem que o investidor tenha diversos tipos de estratégias, gestoras e expertises, em um único fundo.

A seguir, demonstro por que essa estrutura existe e faz sentido para as gestoras e investidores.

Por que existe a estrutura Feeder Master

Estrutura Feeder Master

 

A estrutura master feeder permite que tenhamos algumas vantagens:

Redução de custos operacionais e Ganhos de escala – Principalmente grandes instituições, como bancos que têm muitos clientes e vão procurar diferenciá-los e oferecer produtos melhores àqueles que têm mais dinheiro aplicado lá.

Imagine que vários fundos têm de ser criados para cada perfil de cliente. Isso teria um custo imenso e não seria eficiente. Dessa forma, faz muito sentido ter apenas um fundo master, que realiza toda a gestão e fundos feeders que irão investir nesse máster.

Assim, os custos de gestão são totalmente diluídos e a instituição poderá oferecer fundos com diferentes taxas de administração e prazos de resgate para cada investidor, adaptando seu modelo comercial conforme for conveniente para si. Além disso, o fundo master terá grandes volumes de recursos e maior poder de barganha e os fundos melhores conseguirão acessos às mesmas equipes de gestão.

Maior grau de flexibilidade – em um caso extremo, é possível encerrar um FIC (feeder) sem a necessidade de encerrar o FI (master).

Além disso, um único fundo atuando na gestão não deixa espaço para injustiças e diferenças entre os diversos fundos.

Afinal, quando um fundo compra uma ação, por exemplo, pode se dar por vários preços diferentes, ao longo de um ou mais dias.

Se a instituição financeira tivesse vários fundos com a mesma estratégia, o gestor poderia escolher qual fundo compraria as ações primeiro pelos menores preços, beneficiando um grupo de clientes.

A existência de um fundo máster não abre essa brecha.

Fique de olho pois no passado fundos feeders eram utilizados para enganar o investidor.

Eles eram anunciados como fundos de taxas baixas, porém aplicava seus recursos em um fundo master com taxas elevadíssimas, o que transferia, claramente, as taxas para os investidores finais.

Para evitar que isso continuasse acontecendo, a CVM atualizou sua regulação com a instrução 555/2014 que obriga, entre outras coisas, que os fundos divulguem sempre sua taxa de administração máxima, que representa o valor acumulado de todos os custos de uma cadeia master feeder.

Além disso, embora a maioria dos fundos master que você encontrar serem isentos de taxas, quando isso eventualmente ocorrer, os fundos feeders ou FICs são obrigados a descontar o custo que tiverem com os outros fundos que eles investem para que não ocorra o famoso “rebate”.

Ou seja, se um fundo feeder que cobrar 1% de taxa de administração máxima investir em outro fundo master que cobre 0,3%, ele só ganhará de você efetivamente 0,7% ao ano (1 – 0,3).

Conclusão

A estrutura master feeder é algo muito utilizado no mercado de fundos. É normal ver fundos que tenham essa nomenclatura e sigam essa estratégia.

É útil para diluir custos e aumentar a eficiência quando se tem diversos fundos que devem ter estratégia parecida.

Por se ter uma estrutura com custos diluídos, é possível ter um aumento do retorno do fundo (lembre-se que os custos de administração e gestão corroem uma parte do valor da cota).

Portanto, é algo que faz muito sentido na indústria de fundos.

Se ficou com alguma dúvida ou quer contribuir mais com o assunto, comente abaixo!

Compartilhe esse conteúdo com mais investidores que você deseja ajudar a conquistar Mais Retorno através da estrutura master-feeder:

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais:

Fundo Master, Feeder e FIC: entenda o que são e como funcionam
4.9 (97.5%) 8 votos