Claro, as melhores joias são feitas em ouro. É um metal nobre e caríssimo.

Além de dar um toque de beleza e ser “chique”, o ouro não enferruja e não irrita a pele. Enfim, é um metal belíssimo e raro e por isso tem alto valor.

Muitos utilizam, inclusive, compra de joias para guardar dinheiro. Obviamente que eu não recomendo tal prática, mas existem pessoas que o fazem, justamente pelo ouro ser um metal precioso e dificilmente perder valor.

Não nego que o ouro seja um ativo de valor. Mas quando se trata de investimentos, comprar joias não parece o mais adequado.

Existem formas mais inteligentes de se investir em ouro e é isso que vamos tratar hoje.

Por isso, continue lendo para saber mais sobre:

Como investir em ouro
Vantagens e Desvantagens

Como investir em ouro

Como investir em ouro

O ouro é sim uma forma de investimento. Por isso, é um ativo que tem contratos específicos e é negociado em bolsa de valores. Trata-se de uma commodity, uma mercadoria que não tem especificidades (ouro é sempre ouro) e podem ser estocados sem perda de qualidade.

Assim, uma das formas de investir em ouro é através de compras de contratos em bolsa, na B3. Trata-se da maneira mais eficiente de negociar ouro, pois você tem a garantia da bolsa por trás da negociação (tanto de crédito, liquidez e qualidade).

O lote padrão de ouro, na B3, equivale a uma barra de 250g de ouro. É possível comprar lotes fracionados também de 10g ou 0,225g de ouro.

Os lotes fracionados, no entanto, possuem uma liquidez muito baixa (com poucos compradores e vendedores), o que pode dificultar a negociação.

O modus operandis para negociação de ouro é aquele padrão. Basta ter uma conta em uma corretora de valores habilitada a operar ouro na B3.

Você é quem dá a ordem de compra ou venda e a liquidação financeira ocorre 1 dia útil após a sua ordem. É possível solicitar o ouro físico, mas não obrigatório.

Hoje o grama de ouro custa em torno de R$157,00, o que dá um preço do contrato padrão de R$ 39.250,00. Além disso, também é possível negociar derivativos de ouro, como contratos futuros e opções.

Como o ouro ocupa espaço e se gasta dinheiro para guardar ele, existe a cobrança de uma taxa de custódia.

Por outro lado, a tributação do investimento em ouro é a alíquota básica da renda variável de apenas 15%, sendo isenta em casos de vendas menores que R$20 mil em um mês.

A taxa de custódia tem uma regra especifica.

A Isto É Dinheiro fez um artigo que descreve ela: toma-se o preço máximo do grama do ouro negociado no dia e soma-se 0,07% a este valor. Depois multiplica-se o valor investido (em gramas de ouro) e o divide por 30.

Para investir, por exemplo, R$ 1.440,00 em um contrato fracionário de ouro, por esta fórmula você pagará R$ 25,50 por mês (R$ 0,84 ao dia). E pagará sempre no quarto dia útil ao banco ou corretora.

Outra forma de investir em ouro é indiretamente.

Recorremos, como sempre, aos fundos de investimentos. Aqui você não precisa desembolsar uma grande quantia de dinheiro quanto teria de fazer ao comprar um contrato de ouro.

Existem fundos de investimentos passivos que têm sua rentabilidade atrelada à variação do ouro que facilitam muito o seu trabalho.

São fundos multimercados, dado que não existe uma categoria especifica de investimento em commodities. Como são fundos multimercados, o ponto negativo em relação a investir diretamente comprando contratos na B3, é que esses fundos seguem a tabela regressiva do IR.

Como disse acima, também é possível comprar ouro de forma física. Seja na B3 ou diretamente com instituições financeiras (bancos).

Através das grandes instituições financeiras é possível comprar o ouro físico padrão, ou seja, a barra de 250g. Essas instituições ainda fornecem o serviço de custódia.

O Banco do Brasil é a principal instituição que atua nesse mercado e fornece a barra de 250g na forma de Ouro Lingote.

O serviço, no entanto, é fornecido apenas para clientes do banco.

Vantagens e Desvantagens

Vantagens e desvantagens de investir em ouro

A primeira vantagem do ouro é a sua percepção de reserva de valor, afinal, essa é uma das três funções básicas da moeda e o ouro já foi aceito como moeda. Portanto, dificilmente ele perde valor (dificilmente não significa nunca).

Assim, o ouro pode ser visto como um ativo para proteção e isso é muito verdade.

No mercado financeiro, em momentos de grande stress, os ativos mais seguros se valorizam enquanto outros caem.

E o ouro é um primeiro ativo que se valoriza nesses momentos de turbulência.

Outra vantagem, até ligada a primeira, é que o ouro é um metal precioso e raro. Ou seja, sua disponibilidade é limitada.

Como as sociedades vão enriquecendo ao longo do tempo (assim esperamos), a demanda pelo ouro aumenta e sua oferta não se eleva na mesma proporção. Logo, a tendência é que seu preço suba.

É possível citar também a tributação incentivada como uma vantagem do investimento em ouro. É parecida com o investimento em ações.

A última vantagem é algo que sempre batemos na tecla aqui no Mais Retorno.

O ouro é uma ótima opção de diversificação, ainda mais se levarmos em conta que é um ativo pouco correlacionado com os outros. É aquela ideia que citei acima, de que ele tende a ganhar valor quando outros perdem, além de ser um ativo resiliente.

A grande desvantagem do ouro é seu armazenamento.

Conforme disse acima, caso você não queira ele físico, terá de pagar uma taxa de custódia que não é barata. Caso queira levar ele de forma física, existe sempre o risco de roubo, perda, ou qualquer eventualidade imprevista ao guarda-lo em ambientes impróprios.

Outra desvantagem é que para se investir em ouro o desembolso não é pequeno. Um contrato de ouro tem o valor relativamente alto e os fracionados têm o problema de liquidez.

Conclusão

O ouro é uma forma alternativa de investimento, que tende a ser segura e conservar valor. Existem formas de se investir em ouro sem a necessidade de obtê-lo fisicamente através de contratos na B3 ou fundos de investimentos.

O ouro tende a não perder valor ao longo do tempo e é uma forma de diversificar investimentos. A custódia dele é algo que complica um pouco por ser cara ou perigosa (caso você adquira o ouro físico).

Trata-se de uma boa forma de diversificar investimentos de forma mais conservadora. Porém, como sempre, sempre se mantenha informado e se lembre dos seus objetivos e perfil de riscos.

Ficou ainda com alguma dúvida ou quer contribuir mais com o assunto? Comente abaixo!

Compartilhe esse conteúdo com mais investidores que você deseja ajudar a conquistar Mais Retorno entendendo melhor como investir em ouro.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais:

Como investir em ouro? Saiba por onde começar!
3.9 (77.78%) 9 votos