Empresa

O ex-diretor executivo da Braskem, José Carlos Grubisich, vai se declarar culpado de acusações federais ligadas a um esquema de suborno de US$ 250 milhões que os EUA disseram também envolver a controladora da Braskem, Odebrecht.

Acusado de ter embolsado US$ 2,6 mi para si próprio, Grubisich deve protocolar a declaração em 15 de abril, de acordo com um processo judicial.

Ex-executivo da Braskem está ligado a um esquema de suborno de US$ 250 milhões - Foto: Braskem/Divulgação


O executivo é acusado de comandar um intricado esquema de lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e pagamento de propinas.

De acordo com informações do Departamento de Justiça americano (DoJ), os US$ 250 milhões foram direcionados para um fundo com o objetivo de financiar atos de corrupção.

Segundo o DoJ, as investigações sobre o executivo correm desde 2015 e se referem a pagamentos ilegais feitos entre 2002 e 2014, com parte das acusações envolvem a Odebrecht.

Assento no Conselho até 2012 e consultoria no Grupo Odebrecht

Grubisich foi presidente da petroquímica do grupo brasileiro entre os anos de 2002 e 2008.

A acusação lembra que, apesar de ter deixado o principal cargo executivo da Braskem em 2008, Grubisich manteve um assento no conselho de administração da petroquímica até 2012.

Após isso, atuou por mais dois anos como consultor externo do Grupo Odebrecht.

Grubisich chegou a ser preso em novembro de 2019 em Nova York. / com Agência Estado e Bloomberg

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Empresa
Empresa
Empresa
Empresa
Veja mais Ver mais