O que é Libor?

Libor é uma sigla para London Interbank Offered Rate. Libor é uma taxa referencial utilizada para o cálculo de grandes empréstimos realizados entre instituições financeiras sediadas fora de Londres, mas que realizam as operações na capital da Inglaterra.

Tais empréstimos realizados entre as instituições não possuem garantia. A taxa Libor não compreende só uma taxa referencial, mas sim, algumas.

No total a taxa é calculada em 7 períodos diferentes em 5 diferentes moedas. Os valores dessa taxa são publicados diariamente pela IBA (ICE Benchmark Administration) às 11:45 horário de Londres.

O surgimento dessa taxa ocorreu em meados dos anos 80, quando as instituições financeiras sediadas na Inglaterra observaram que havia a necessidade de contar com algum benchmark para as taxas de empréstimos negociados em solo londrino.

Com uma diversidade maior de players em tal país, as taxas aplicadas sobre os empréstimos e demais linhas de crédito deveriam contar com algum parâmetro, mesmo que mínimo.

Por isso, em 1984 a British Bankers´ Association (BBA) criou esse benchmark e em 1986 as primeiras taxas Libor foram publicadas.

Essa taxa é utilizada como benchmark para as mais diferentes operações, como os próprios empréstimos, contratos de swap e opções.

Fazendo uma comparação bem simplista com o mercado brasileiro, a Libor seria como a Taxa DI (ou CDI) da Inglaterra.

Como é realizado o cálculo da taxa Libor?

A taxa Libor não é calculada com base em operações concretas, ou seja, não são levadas em consideração as transações que foram realizadas.

Como nem todos os bancos e demais instituições financeiras fazem operações diárias de empréstimos no mercado internacional, as transações executadas acabam sendo descartadas do cálculo.

Ou seja, existem dias onde algumas instituições financeiras acabam não executando nenhum empréstimo ou outras operações que poderiam envolver o segmento e, assim, elas não geram transações que poderiam ser utilizadas como base.

Diariamente por voltas das 11 horas da manhã, as instituições financeiras informam a Thomson Reuters quais são as taxas que esperam utilizar para conseguir atrair a maior quantidade de empréstimos do mercado de câmbio.

Depois do recolhimento de todas as taxas projetadas pelas instituições financeiras, a Thomson Reuters faz um descarte das 25% das taxas mais altas e mais baixas.

Depois, 50% de valor das medianas é utilizado para desenvolver a média e chegar a taxa Libor.

De certa forma, a taxa Libor é uma grande média de todas as taxas que as instituições financeiras projetam para suas operações de crédito (que envolvem o mercado internacional, portanto o câmbio) na Inglaterra.

As 5 moedas que são utilizadas para a taxa Libor são:

  • Taxa de juros LIBOR dólar americano – USD LIBOR
  • Taxa de juros LIBOR libra esterlina inglesa – GBP LIBOR
  • Taxa de juros LIBOR euro europeu – EUR LIBOR
  • Taxa de juros LIBOR yen japonês – JPY LIBOR
  • Taxa de juros LIBOR franco suíço – CHF LIBOR

Importância da taxa Libor

Dentro todos os benchmarks existentes ao redor do globo, a taxa Libor é considerada uma das mais importantes e relevantes no mundo.

A taxa Libor é utilizada como base para vários investidores, especialmente quando as operações são relacionadas a contratos de Swap, futuros e opções.

Já as instituições financeiras utilizam a taxa Libor como benchmark para suas taxas de juro que serão aplicadas sobre as linhas de crédito.

Como a taxa Libor acaba servindo como benchmark para mais produtos financeiros, além dos empréstimos, profissionais da área de finanças ao redor do mundo acabam acompanhando a evolução dessa taxa bem de perto.

Querendo ou não, por mais que a taxa Libor seja elaborada na Inglaterra, o mercado de lá possui peso relevante no contexto global das finanças.

Por isso, essa taxa acaba se tornando um benchmark importante para boa parte das transações internacionais.