O que é um Fundo Mono Ação?

Um Fundo Mono Ação é uma modalidade de fundo de investimentos que funciona exatamente como o seu nome sugere. Ou seja, ele oferece apenas uma ação em sua carteira. O produto tem como público-alvo investidores iniciantes, os quais ainda não conhecem as oportunidades disponíveis no mercado financeiro.

Por mais bizarro que seja, esses fundos possuem um volume considerável de cotistas. Segundo dados compartilhados pela XP Investimentos, existem no Brasil mais de 40 fundos dessa categoria, abertos para o público geral. Metade deles contam com mais de mil cotistas.

Segundo a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercado Financeiro e de Capitais), entidade reguladora de fundos de investimentos no nosso país, essa é a definição mais simples de um Fundo Mono Ação:

"Fundos com estratégia de investimento em ações de apenas uma empresa".


Como funciona um Fundo Mono Ação?

O Fundo Mono Ação tem uma atividade extremamente simplificada. Ele escolhe uma companhia e passa todo o tempo negociando aquele mesmo ativo, isto é, comprando e vendendo as ações da empresa selecionada.

Por motivos óbvios, esses fundos geralmente selecionam papéis de grandes companhias aos seus cotistas — como é o caso de Vale, Petrobrás ou Ambev, por exemplo. Como vantagem, esses ativos contam grande liquidez, facilidade de negociação e são conhecidos do público geral.

Onde estão disponíveis os Fundos Mono Ação?

Como não poderia deixar de ser para um produto "preguiçoso" como esse, o foco de distribuição dos Fundos Mono Ação está nos principais bancos. Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa e Santander concentram a enorme maioria da categoria.

Não é de hoje que compartilhamos como os produtos dos bancos são, geralmente, ruins e com altas taxas. O Fundo Mono Ação seja talvez o pior exemplo disso na medida em que oferece uma estratégia absolutamente simples e, mesmo assim, cobra caro do cotista.

As taxas de administração verificadas em boa parte desses fundos estava entre 1,5% e 4,0%. Vale lembrar que você encontra excelentes fundos de ações, com estratégias diversificadas e contemplando uma carteira composta de ativos (muitas vezes com mais de 30 companhias) que cobram apenas 2,0% dos investidores.

É por essas e outras que, pensando em investimentos, não deve haver dúvida sobre buscar as corretoras. Elas oferecem melhores produtos, com taxas mais justas aos cotistas e, principalmente, com estratégias mais diversificadas.

Quais os problemas de investir em um Fundo Mono Ação?

Quem já tem alguma experiência no mercado financeiro deve estranhar um fundo de ações que usa apenas de um ativo. Trata-se, afinal, de uma concentração em um único título, fazendo com que uma característica básica de um bom investidor não se aplique: a diversificação.

Pois esse é apenas um dos problemas de um Fundo Mono Ação. O segundo é o risco: você estará demasiadamente exposto a um único ativo, o que pode representar fortes quedas no seu patrimônio em caso de algum escândalo — como aconteceu no período recente com a Petrobrás.

Já altos ganhos são mais raros. Como esses fundos trabalham com companhias consolidadas e com forte liquidez, espera-se um fluxo de pagamento de dividendos, mas não uma grande valorização no preço do papel.

E não paramos por aí. Como já mencionamos, existem altas taxas de administração cobradas para a aplicação de uma estratégia muito simples. Pelo mesmo custo, você tem como contratar equipes muito mais robustas, completas e com resultados mais consistentes ao longo do tempo.

Por fim, mas não menos importante, escolher uma grande empresa e colocar todo capital nesse mesmo ativo não demanda de um gestor especializado. Você mesmo pode fazer isso diretamente pela sua corretora e, claro, sem precisar arcar com taxas de administração.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Termo do dia

Aporte Inicial

O que é aporte inicial? O aporte inicial, também chamado de aplicação inicial, corresponde à quantia em dinheiro que uma pessoa contribui para começar a investir…