Última modificação em 27 de novembro de 2020

O que é acionista majoritário?

O acionista majoritário é o proprietário de uma parcela de ações de uma organização, cuja totalidade é maior do que 50% das cotas com direito a voto.

Isso significa que, como possui a capacidade de se impor nas assembleias corporativas e decidir sozinho os rumos da empresa, o acionista majoritário é também, na maioria dos casos, o acionista controlador.

É uma condição exclusiva dos titulares das ações ordinárias, visto que, via de regra, as ações preferenciais não concedem o benefício de votar.

Por concentrar tanto poder dentro da organização, elegendo membros de conselho e exercendo forte influência sobre as direções estratégicas, a lei prevê a aplicação de restrições específicas à atuação do acionista majoritário.

Com isso, se protegem tanto os acionistas minoritários quanto os colaboradores e a comunidade.

Quais são as principais características de um acionista majoritário?

O acionista majoritário é um sujeito significativo da estrutura societária.

Podendo compor empresas de capital aberto ou fechado, é imprescindível naquelas que adotam o modelo de controle definido, onde existe a identificação de um único indivíduo ou grupo no centro do poder.

Não deve ser confundido com o acionista controlador! Embora costumeiramente exerça esse papel, o acionista majoritário pode perdê-lo para acionistas minoritários.

Enquanto um é ligado à influência, o outro é ligado a volume.

Para ilustrar, pense na disputa pelo controle das empresas como uma luta medieval. Enquanto, de um lado, há um grande soldado de armadura e escudo, do outro há apenas um enxuto homenzinho, com as roupas de seu corpo e a sua espada.

Se o soldado bem equipado souber lutar bem, ganhará com vantagem. Se o soldado menor, por sua vez, for melhor no manejo de sua arma, terá ainda que superar a forte proteção do adversário e o desnível entre os seus portes.

Ou seja, na sociedade anônima, o acionista majoritário leva vantagem prévia pelo volume de votos do qual dispõe.

O acionista minoritário, se obstinado a impor o seu domínio, enfrentará como obstáculo, além do seu número ínfimo de ações, a posição privilegiada do acionista majoritário.

Por esse motivo, ter um acionista controlador que não seja também o acionista majoritário da companhia não é impossível: apenas muito, muito raro.

Quais são as vantagens de se tornar um acionista majoritário?

Não podemos deixar de citar os benefícios que ter sob sua custódia a maioria das ações de uma empresa pode trazer.

Além de atuar como fator decisivo nas assembleias e participar do recebimento de dividendos e juros sobre capital próprio, o acionista majoritário também pode:

Sob a perspectiva da estabilidade organizacional, nota-se que a rapidez na tomada de decisões costuma ser maior do que em empresas de controle pulverizado. Isso porque o tempo de discussão também se reduz.

Ou seja, há benefícios notáveis não apenas no entendimento individual do acionista majoritário, mas também na companhia.

Como evitar o abuso de poder por parte dos acionistas majoritários?

Você se lembra do exemplo das lutas medievais que citamos acima?

Já pensou como seria fácil para o soldado mais forte, por seu tamanho e aparato, subjugar os soldados mais franzinos com violência desmedida?

No caso da estrutura societária, a mesma possibilidade deve ser considerada.

Afinal, com que facilidade o acionista majoritário pode oprimir os acionistas minoritários? De certo, muita.

Para evitar essa relação de desigualdade é que a Justiça brasileira definiu alguns mecanismos restritivos à sua atuação.

A partir de ações especificadas na Lei de Sociedades Anônimas, se visa evitar sonegações e fraudes nas informações compartilhadas aos demais membros da organização.

Entre as principais ilegalidades acessíveis ao acionista majoritário estão:

Isso porque todos essas práticas dependem, sobretudo, de aprovação em assembleia para se concretizarem.

Para restringi-las, então, a lei possibilita que os acionistas majoritários sejam responsabilizados individualmente por atos abusivos.

As sanções vão desde reparações indenizatórias a processos criminais, a depender da sua extensão.

Os acionistas majoritários podem, ainda, ser denunciados por quaisquer outros membros da sociedade, diretamente no Conselho de Valores Mobiliários (CVM).

Termo do dia

STVM (Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários)

O que é a STVM? STVM (Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários) permite que um investidor transfira seus investimentos de um banco para uma corretora – ou, então, de…